Evento sobre avaliação psicológica chega a Nova Iguaçu, e CRP-RJ destaca questões preocupantes

Às vésperas do terceiro de uma série de eventos sobre avaliação psicológica com a categoria, o Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro (CRP-RJ) destaca a importância da participação dos psicólogos nos encontros. O Grupo de Trabalho (GT) criado para discutir o tema destaca que há situações preocupantes, como a possível restrição do uso de testes a profissionais com especialização comprovada. Questões como essa serão debatidas junto à categoria que tem, nesse momento, a oportunidade de apontar suas dificuldades, bem como suas propostas sobre a avaliação psicológica. O próximo encontro acontece dia 23 de setembro, na subsede Baixada Fluminense do Conselho, em Nova Iguaçu.

A psicóloga e conselheira do CRP-RJ Analicia Martins de Sousa (CRP 05/31168), participante do GT, lembra que o debate é muito sério, e precisa atingir a todos. “Existe a chance de a utilização de certos testes psicológicos ficar restrita a profissionais com título de especialista”, aponta a conselheira. “Isso pode ter sérias implicações para a Psicologia como ciência, que se torna cada vez mais dividida em especialismos, e também para muitos profissionais que, embora estejam capacitados em sua atuação, deverão apresentar o título de especialista”, complementa.

Analicia explica ainda que, se aprovada, a proposta fará com que apenas instituições credenciadas concedam os diplomas e certificados de especialização em avaliação psicológica, o que ainda é mais preocupante. “Nosso Código de Ética diz que o psicólogo deve avaliar se está ou não capacitado para atuar nas situações em que é convocado. Não é necessário haver mais um especialismo. As avaliações psicológicas são parte do trabalho de toda a categoria, não apenas de alguns profissionais”, afirma.

Pela proposta do ano temático da avaliação psicológica, os Conselhos Regionais de Psicologia de todo o país realizarão eventos com os profissionais de suas regiões até o fim de 2011. Após os debates, as sugestões levantadas e aprovadas serão colocadas em discussão em um evento nacional. “A categoria precisa se mobilizar no Rio de Janeiro para que tenhamos algo a levar para o evento nacional, pois, como dizem ‘quem cala consente’. Este é um debate de mão dupla. O CRP-RJ também quer ouvir a categoria, não apenas expor”, diz a conselheira.

Outros temas relevantes têm sido debatidos nos eventos, que já passaram pelo Rio de Janeiro e por Petrópolis. “Estamos discutindo a questão das disciplinas de avaliação psicológica nas faculdades, cujas cargas horárias têm sido reduzidas. Não queremos propor apenas o aumento dessas cargas, mas também apontar o que deve ser incluído em tais disciplinas”, explica Analicia. A conselheira afirma ainda que “ninguém sai da faculdade plenamente preparado, pois o curso de psicologia é generalista, mas é importante primar pela graduação”.

As discussões foram abertas no dia 19 de agosto, na sede do Conselho. Na semana seguinte, foi a vez de Petrópolis, que recebeu o segundo debate. Desta vez, a expectativa é pela presença de psicólogos de toda a Baixada. O evento terá início às 17h30. A subsede Baixada Fluminense do CRP-RJ fica à Rua Sebastião Herculano de Mattos, 41, centro de Nova Iguaçu (próxima ao antigo Fórum, à Cruz Vermelha e à estação Nova Iguaçu da Supervia).

Além de Nova Iguaçu, outras quatro cidades receberão as discussões antes do encerramento regional, marcado para 2 de dezembro, no Rio. O evento chega a Campos dos Goytacazes em 30 de setembro; a Cabo Frio em 7 de outubro; Volta Redonda 21 de outubro e Angra dos Reis 11 de Novembro. Os locais e horários serão divulgados em breve no site do Conselho.

Esta entrada foi publicada em Eventos Regionais. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta